O influenciador geralmente tem uma comunidade em uma ou mais redes sociais tais como instagram, facebook, tiktok.

As marcas podem pedir-lhe que comente sobre os seus produtos ou serviços.

Quando é que existe uma operação de publicidade? O advogado de propriedade intelectual responde-lhe

A prática do influenciador é muito enquadrada assim que é identificada como "publicidade", ou seja, quando o influenciador e a marca celebraram um acordo, e o peso da marca é sentido.

O Tribunal de Cassação recordou que "o facto de esta mensagem ter sido transmitida por um utilizador da Internet à sua "rede de amigos" não a fez perder o seu carácter publicitário" (Cass. 1re civ., 3 de Julho de 2013, n° 12-22.633).

A publicidade está sujeita às exigências de práticas comerciais enganosas ou agressivas de Artigos L. 121-1 e seguintes do Código do Consumidoros requisitos de identificação do lei para a confiança na economia digital (L. n° 2004-575, 21 de Junho de 2004disse LCEN) e a luta contra a publicidade oculta, no que diz respeito ao mercado francês.

Quais são os direitos em jogo a serem considerados num contrato de marca registada? O advogado de propriedade intelectual intervém

O influenciador tem, naturalmente, direito à imagem.

Mas mais geralmente ele tem direito à protecção de todos os atributos da sua personalidade, tais como o seu nome e apelido.

A marca tem essencialmente um direito de marca, permitindo-lhe capitalizar sobre a reputação do seu produto ou serviço.

Outros fornecedores têm direitos autorais, tais como o fotógrafo ou o produtor/director.

Este direito permite-lhes exigir uma compensação pela exploração do seu trabalho, para além de qualquer remuneração que possam ter recebido pela realização do seu trabalho.

Todos estes direitos devem, portanto, ser negociados e contratados a fim de evitar tanto quanto possível o risco de reclamações.

Foi publicada a lei que visa regulamentar a exploração comercial da imagem da criança com menos de 16 anos em plataformas online (L. n° 2020-1266, 19 Out. 2020).

As regras do Código do Trabalho são-lhes agora aplicáveis (arte. L. 7124-1 e seguintes.)Isto requer que os pais solicitem a autorização ou aprovação individual da administração.

Estes últimos são também obrigados a colocar parte dos rendimentos dos seus filhos na Caisse des dépôts et consignations até atingirem a maioridade ou se emanciparem(arte. L. 7124-9).

Em todos os casos, deve ser feita uma declaração, acima de certos limiares de duração ou número de vídeos ou rendimentos da sua distribuição (L. n° 2020-1266, art. 3).

Ao mesmo tempo, as plataformas de partilha de vídeo são fortemente encorajadas, sob a égide da ARCOM, a adoptar cartas para informar os menores sobre as consequências da disseminação da sua imagem na sua vida privada e sobre os riscos psicológicos e legais envolvidos (L. n° 2020-1266, art. 4 e 5).

A lei dá às crianças um direito ao esquecimento digital que elas podem exercer sozinhas sem os seus pais (L. n° 2020-1266, art. 6).

 

Quais são as armadilhas a evitar ao redigir e negociar o contrato com a marca? O advogado de propriedade intelectual em Paris assiste-o

No início de uma parceria, não se tem necessariamente todas as cartas em mãos para negociar da melhor e mais justa forma.

É portanto necessário prever uma cláusula de revisão mais ou menos flexível no contrato, permitindo que um contratante opte por não participar, pelo menos sob tais e tais condições.

É também importante evitar contratos demasiado longos ou escritos demasiado pequenos, ou que se referem a condições gerais, que são muitas vezes confusas ou pouco claras.

Os contratos pouco claros estão abertos à interpretação. Eles são, portanto, uma fonte de discussão, geralmente em benefício da parte contratante economicamente mais forte.

Contrafacção: como reagir?

CLFs e direitos de autor

Trabalhadores da plataforma

As condições gerais

Desenho de marketing

Mercados e marcas

Obter ajuda de um advogado de marcas registadas

pt_PTPortuguese